Coréia do Norte ameaça romper armistício com o Sul

A Coréia do Norte ameaçou abandonar o armistício de 1953 que pôs um fim à Guerra da Coréia, e avisou que tomará ?medidas retaliatórias fortes e sem misericórdia? caso se veja submetida a um bloqueio econômico. O Exército Popular da Coréia do Norte disse que está ?na encruzilhada entre guerra e paz?, por causa dos esforços americanos para sufocar o Estado comunista. A Coréia do Norte vêm elevando o tom da retórica antiamericana, num aparente esforço para induzir os EUA negociar a questão do programa nuclear norte-coreano. ?Dificilmente será possível manter um cessar-fogo na Coréia apenas com o esforço unilaterial pelo lado do Exército Popular?, disse um representante militar norte-coreano, divulgado pela agência de notícias estatal KCNA. Em Washington, diplomatas dos EUA, Japão e Coréia do Sul preparam uma reunião, para esta quarta-feira, a fim de discutir o impasse com o Norte, informou um funcionário da chancelaria japonesa. Os detalhes da pauta da reunião não foram divulgados, mas a proposta americana de uma resolução da ONU condenando o regime norte-coreano, bem como um plano internacional de energia nuclear para ajudar o país a escapar de sua crise energética devem ser tratados.

Agencia Estado,

01 Julho 2003 | 13h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.