Coréia do Norte ameaça voltar a testar mísseis

A Coréia do Norte ameaça retomar seus testes de lançamento de mísseis se o Japão não parar de tratar o programa nuclear norte-coreano e o destino de cinco japoneses seqüestrados como os únicos temas centrais de uma negociação para normalizar as relações entre os dois países.Porém, o Japão informou nesta terça-feira que continuará pressionando por esses dois assuntos.Citando um diplomata do Ministério das Relações Exteriores da Coréia do Norte, a Agência Central de Notícias da Coréia, estatal, acusou o Japão de cortar as negociações diplomáticas da semana passada ao insistir que elas deveriam abranger seqüestros de cidadãos japoneses pela Coréia do Norte ocorridos há décadas, e exigências de que Pyongyang abandone seu programa de desenvolvimento de armas nucleares."Não houve nenhum progresso nas discussões dos problemas essenciais", disse o diplomata norte-coreano, sob condição de anonimato, à agência.Pyongyang também reclama que Tóquio não reparou "os grandes crimes cometidos no passado contra o povo coreano".Ele comentou ainda que a crescente frustração já está levando algumas pessoas a reconsiderarem a atual moratória de teste de mísseis, "se as negociações se estenderem sem nenhum progresso".A posição emitida hoje pela Coréia do Norte - sua primeira resposta oficial após o fim das negociações da semana passada em Kuala Lumpur, Malásia - acusa o Japão de "ferir" a confiança entre os dois países.A Coréia do Norte assustou o Japão em 1998, quando um míssil cruzou os céus de ilhas japonesas. O governo norte-coreano informou na época que não se tratava de um teste de mísseis, mas de um satélite colocado em órbita com sucesso.Desde 1999, a Coréia do Norte cumpre uma moratória auto-imposta de testes de mísseis de longo alcance. Enquanto prosseguiam os testes de mísseis de curto alcance, líderes norte-coreanos reafirmavam publicamente a validade da moratória.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.