Jin Sung-chul/Reuters
Jin Sung-chul/Reuters

Coreia do Norte chama presidente sul-coreano de 'maníaco fascista'

Lee Myung-bak colocou em alerta máximo as tropas de seu país após a morte de Kim Jong-il

Agência Estado

04 de janeiro de 2012 | 16h19

SEUL - A Coreia do Norte disse que o presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak, é um "maníaco fascista pró-americano" e um "chefão de maldades" porque colocou em alerta máximo as tropas sul-coreanas após a morte do ditador norte-coreano Kim Jong-il, em 17 de dezembro.

 

O Comitê para a Reunificação Pacífica da Coreia, no Norte, disse nesta quarta-feira que o exército norte-coreano deveria forçar a Coreia do Sul a "pagar um preço" pela ação. O governo da Coreia do Norte tem atacado regularmente o presidente sul-coreano Lee Myung-bak desde que ele encerrou um política de auxílio ao empobrecido norte em 2008, após tomar posse.

 

O Norte também criticou o governo de Lee por ter proibido todos os sul-coreanos, com a exceção de duas delegações, de visitarem a Coreia do Norte para prestar homenagens após o falecimento de Kim Jong-il. O comunicado foi publicado pela estatal Agência Central de Notícias da Coreia. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.