Coreia do Norte critica manobras de EUA e Coreia do Sul

Exercícios militares ocorrem anualmente desde 1975 e simulam uma hipotética guerra

EFE

26 de julho de 2009 | 05h25

O Governo da Coreia do Norte criticou neste domingo as manobras conjuntas regulares que tropas dos Estados Unidos e da Coreia do Sul realizarão em agosto, por considerá-las provocativas, informou a Agência Oficial Norte-coreana ("KCNA"), citada neste domingo pela agência sul-coreana "Yonhap".

 

Os exercícios são "um plano militar para invadir a Coreia do Norte, devido ao tamanho e conteúdo das mesmas", disse um porta-voz do regime comunista do líder norte-coreano Kim Jong-il através da "KCNA".

 

As manobras acontecerão entre 17 e 27 de agosto com a participação de dez mil soldados americanos estacionados na Coreia do Sul e em outras bases estrangeiras, além de 56 mil militares sul-coreanos.

 

Esses exercícios ocorrem anualmente desde 1975 e simulam uma hipotética guerra com a Coreia do Norte, país que criticou reiteradamente as citadas manobras por considerá-las a preparação de uma invasão a seu território.

 

As duas Coreias permanecem tecnicamente em estado de guerra desde que o conflito bélico na península terminou, em 1953, com um armistício, em vez de um tratado de paz.

Tudo o que sabemos sobre:
EUACOREIA DO NORTEMANOBRAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.