Coreia do Norte dispara 3 mísseis de curto alcance no Mar do Japão

Trata-se do primeiro gesto beligerante nas últimas semanas por parte do regime norte-coreano, que desde o final de abril rebaixou o tom de sua recente campanha de ameaças bélicas

EFE

18 de maio de 2013 | 08h47

SEUL - A Coreia do Norte lançou neste sábado, 18, três mísseis guiados de curto alcance no Mar do Leste (Mar do Japão) , informaram fontes do Ministério da Defesa da Coreia do Sul. Dois lançamentos foram detectados pela manhã e, um terceiro, pouco depois do meio-dia, confirmaram fontes do Ministério, segundo a agência de notícias sul-coreana "Yonhap".

O Governo japonês também confirmou os três lançamentos efetuados pelo Exército norte-coreano e que nenhum dos projéteis caiu em águas japonesas.

De acordo com as fontes, as Forças Armadas norte-coreanas reforçaram a vigilância em torno dos movimentos da vizinha Coreia do Norte, com a qual Seul ainda está tecnicamente em guerra, já que o conflito travado entre 1950 e 1953 foi interrompido com um armistício e não com um tratado de paz.

A princípio, os testes realizados neste sábado não devem descumprir nenhuma disposição internacional, já que os mísseis lançados eram todos de curto alcance.

Várias resoluções da ONU, aprovadas depois que Pyongyang realizou testes nucleares subterrâneos e de mísseis balísticos, proíbem o regime comunista de lançar projéteis com maior alcance e carga útil ao considerar que os mesmos se encontram dentro de um programa para o desenvolvimento de armas nucleares intercontinentais.

Trata-se do primeiro gesto beligerante nas últimas semanas por parte do regime norte-coreano, que desde o final de abril rebaixou o tom de sua recente campanha de ameaças bélicas.

O regime comunista começou a lançar agressivas advertências de "guerra atômica" a Coreia do Sul, EUA e Japão depois que o conselho de Segurança da ONU sancionou por unanimidade seu teste nuclear realizado no último mês de fevereiro e também em protesto pelas recentes manobras militares que Seul e Washington realizaram em conjunto na península coreana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.