Coréia do Norte diz estar pronta para desativar reator

A Coréia do Norte disse que começará a tomar medidas para fechar seu reator nuclear um dia depois de receber os milhões de dólares bloqueados há 18 meses em um banco de Macau, disse nesta quarta-feira o governador do Estado americano do Novo México, Bill Richardson. Mas Richardson, que fez as declarações em Seul, depois de uma viagem à Coréia do Norte, disse que será necessário um "esforço extraordinário" para que o prazo para o fechamento, que termina no próximo sábado, seja cumprido. A data foi fixada em um acordo feito em fevereiro nas negociações entre seis países. Já a TV americana NBC especulou nesta terça-feira a possibilidade da Coréia não cumprir o prazo do acordo para interrupção de seu programa nuclear. "O governo norte-coreano nos disse que com este tema (do banco) resolvido,...vai agir imediatamente, dentro de um dia, depois de receber os fundos", disse Richardson, que durante a visita encontrou-se com o negociador nuclear da Coréia do Norte, Kim Kye-gwan. "Portanto, naquele dia, (a Coréia do Norte) convidará a AIEA a Pyongyang com seus inspetores para traçar os termos do fechamento do reator de Yongbyon." A volta dos inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), expulsos em 2002, também é parte do acordo de fevereiro, que prevê ajuda em energia ao país pobre em troca do encerramento de seu programa de armas nucleares, começando pelo fechamento do reator de Yongbyon, sua fonte de plutônio. Mas Richardson disse que pode levar cerca de 30 dias até que o reator comece a ser desativado. "Uma autoridade norte-coreana mencionou que talvez sejam necessários 30 dias adicionais por causa do atual atraso devido ao tema do BDA (Banco Delta Asia)." Os EUA disseram na terça-feira que autoridades de Macau desbloquearam cerca de 25 milhões de dólares em fundos norte-coreanos congelados no Banco Delta Asia (BDA). Richardson disse esperar que o banco informe à Coréia do Norte que pode retirar seu dinheiro ainda nesta quarta-feira, ou na quinta-feira, o que significa que Pyongyang enviaria um convite à AIEA na sexta-feira. Prazo difícil Analistas duvidam que o fim do prazo de sábado prejudique o acordo de desarmamento. "O prazo pode ser adiado, mas não acho que haverá dano fundamental ao acordo", disse Ruan Zongze, do Instituto de Estudos Internacionais da China. Dirigentes do BDA em Macau recusaram-se a comentar se o dinheiro foi transferido, ou se a Coréia do Norte fez contato. O negociador norte-americano, Christopher Hill, disse a repórteres em Seul que considera o tema do banco resolvido. "Acho que agora é um momento realmente importante para seguirmos com a tarefa urgente de desnuclearização, e principalmente avançar com a implementação do acordo de fevereiro", disse. "Então espero que isso aconteça em uma questão de dias." Hill deverá debater o tema nuclear em Pequim na quinta e na sexta-feira. As negociações sobre o fim do programa nuclear de Pyongyang em troca de ajuda em energia e garantias de segurança envolvem as duas Coréias, a China, a Rússia, os EUA e o Japão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.