Evan Vucci / AP
Evan Vucci / AP

Coreia do Norte diz que Estados Unidos querem nova reunião para discutir questão nuclear

Negociador norte-coreano Kim Myong-gil exige novas propostas para que diálogo aconteça

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2019 | 23h54

O negociador nuclear norte-coreano Kim Myong-gil afirmou que Washington propôs realizar uma nova reunião de trabalho em dezembro e que Pyongyang se dispõe a participar de novo diálogo, mas apenas se os Estados Unidos trouxerem novas propostas.

"Se uma solução negociada para nossos problemas for possível, estamos prontos para nos encontrar com os Estados Unidos em qualquer lugar, a qualquer hora", afirmou Myong-gil em texto da agência estatal norte-coreana KCNA veiculado nesta sexta-feira, 15. "Se os EUA ainda perseguem o fim sinistro de nos apaziguar na tentativa de ultrapassar o prazo, como já aconteceu na Suécia no início de outubro, não estamos interessados nas negociações", adicionou. 

A Coréia do Norte insistiu em estabelecer um prazo máximo, no final deste ano, para que os Estados Unidos façam uma proposta mais flexível em relação à desnuclearização do país asiático. Embora tenham assinado um acordo de cooperação no ano passado e se reunido nos últimos meses, os dois países ainda não conseguiram chegar a um acordo. 

Myong-gil afirma acreditar que Washington "não está preparado" para trazer à mesa uma nova proposta e que é "um truque para economizar tempo". "Sendo explícito mais uma vez, não estou interessado nessa reunião", concluiu no texto.

O último diálogo entre os países aconteceu em Estocolmo, na Suécia, em outubro e terminou com Pyongyang acusando Washington de não oferecer nada de novo e de manter ativa sua "política hostil" contra o regime que comanda o país. Especialistas acreditam que, se não houver progresso, a Coréia do Norte poderia escolher o Ano Novo para realizar novos testes de armas, especialmente de mísseis de alcance intermediário, como uma estratégia para pressionar Washington e o resto de seus aliados na região./EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.