REUTERS/KCNA
REUTERS/KCNA

Coreia do Norte diz que foguetes estão prontos para 'acertar contas' com EUA

Provável intenção de Kim Jong Un é promover conversações diretas e obter ajuda de Washington

Agência Estado

29 de março de 2013 | 11h33

SEUL - O líder norte-coreano Kim Jong Un advertiu nesta sexta-feira, 29, que seus foguetes estão prontos "para acertar as contas com os Estados Unidos", dando início a uma nova rodada de retórica, depois que bombardeiros norte-americanos B-2, invisíveis a radares inimigos, lançaram munição de festim durante um exercício militar conjunto com a Coreia do Sul.

A advertência de Kim, e a série de ameaças que a precedeu, não indicam uma guerra iminente. A provável intenção é fazer com que a Coreia do Sul suavize suas políticas, promover conversações diretas e obter ajuda de Washington, além de fortalecer as credenciais e a imagem do líder jovem em casa.

Mas as ameaças da Coreia do Norte e a crescente animosidade entre os rivais, após a intensificação das sanções impostas pela Organização das Nações Unidas (ONU), depois dos testes nucleares norte-coreanos de 12 de fevereiro, fizeram aumentar os temores de equívocos, que poderiam levar a um confronto.

Kim "realizou uma reunião urgente" com graduados generais logo após a meia-noite, assinou um plano de preparação de foguetes e ordenou que suas forças fiquem de prontidão para atacar o território norte-americano, a Coreia do Sul, Guam e o Havaí, informaram meios de comunicação estatais.

Segundo informações divulgadas pela Agência Central de Notícias Coreana, Kim declarou que "chegou a hora de acertar as contas com os imperialistas dos Estados Unidos, tendo em vista a atual situação".

Horas depois, dezenas de milhares de norte-coreanos se reuniram na principal praça de Pyongyang para uma manifestação de 90 minutos em apoio ao chamado às armas feito por Kim. Homens e mulheres, muitos usando uniformes cor de oliva, se perfilaram em linhas retas com os punhos erguidos, gritando: "morte aos imperialistas dos Estados Unidos". Faixas na praça traziam palavras duras também contra a Coreia do Sul, dentre elas "vamos rasgar os fantoches traidores!"

Também nesta sexta-feira, a mídia estatal divulgou fotografias de Kim e seus mais importantes generais em frente a um mapa indicando rotas para ataques contra cidades nas costas Leste e Oeste dos Estados Unidos. O mapa tinha o título "Plano de ataque ao território dos Estados Unidos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.