Coréia do Norte diz que será excluída do eixo do mal

Compensações econômicas e políticas são ofecidas em troca do fim do programa nuclear de Pyongyang

Reuters e Efe,

03 de setembro de 2007 | 07h40

A Coréia do Norte afirmou nesta segunda-feira, 3, que os Estados Unidos aceitaram retirá-la da lista de países que apóiam o terrorismo, uma decisão muito esperada pelo regime de Pyongyang para melhorar seu status no contexto internacional."Os EUA aceitaram tomar medidas de compensação políticas e econômicas, como eliminar nosso país da lista de nações que apóiam o terrorismo e levantar por completo as sanções impostas sob a lei do comércio com países inimigos", disse a agência de notícias norte-coreana KCNA, citando um funcionário do Ministério das Relações Exteriores.   O acordo foi firmado durante as conversas bilaterais que aconteceram no final de semana entre o chefe dos negociadores dos EUA, Christopher Hill, e o norte-coreano, Kim Gye-kwan. Hill confirmou ainda que o Estado comunista havia aceitado desativar seu programa nuclear até o final deste ano. "De acordo com o pacto, os EUA retirarão nosso país da lista de países que apóiam o terrorismo, e entregará compensações econômicas e políticas, como a suspensão da lei que proíbe o comércio com países inimigos", disse o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores da Coréia do Norte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.