Coréia do Norte diz que será próximo alvo dos EUA

Depois de prognosticar que uma invasão americana ao Iraque é "só uma questão de tempo", a Coréia do Norte previu, nesta quarta-feira, que será o próximo alvo dos militares americanos e pediu a suas forças que estejam preparadas para a guerra. O governo comunista de Pyongyang acusa os EUA de estarem planejando o envio de reforços para suas águas costeiras como passo preliminar para uma invasão. Na seguda-feira, o Norte disparou um míssil de curto alcance no mar, entre a Península Coreana e o Japão, agravando as tensões regionais. Washington insiste que deseja uma solução pacífica para o impasse em torno das atividades nucleares norte-coreanas, mas diz que mantém todas as opções em aberto. Em uma declaração divulgada nesta quarta-feira pela agência de notícias oficial norte-coreana, a Chancelaria acusou os EUA de planejarem manobras bélicas maciças na Coréia do Sul, com a finalidade de atacar o Norte. "A ofensiva militar americana no Iraque é só uma uma questão de tempo", disse. "O belicismo incessante manifestado pelos EUA na Coréia do Sul, em meio a este panorama, está criando uma situação extremamente tensa, na qual poderia desencadear um ataque preventivo" contra a Coréia do Norte "a qualquer momento". "Isto impele o Exército e o povo a se manterem em plena preparação, utilizando todos os meios e possibilidades necessários a fazer frente (a esta situação)", acrescentou a declaração. Tais comentários não destoam muito do clima exaltado das últimas semanas. Mas, como foram divulgados horas após a posse do novo presidente sul-coreano, Roh Moo-hyun, põem em relevo os desafios que o novo governo de Seul enfrentará: um governo comunista hostil em relação aos EUA, por sua vez dispostos a conter o suposto desenvolvimento do programa nuclear norte-coreano. Além disso, Pyongyang denunciou que um avião espião americano violou seu espaço aéreo pela segunda vez nesta semana e advertiu que tomará "enérgicas medidas de autodefesa". "Esta é uma flagrante violação dos direitos soberanos de nossa república e uma clara violação do direito internacional", disse a imprensa norte-coreana, segundo a agência noticiosa sul-coreana Yonhap. A Coréia do Norte tem dito várias vezes, ao longo dos anos, que os EUA se preparam para invadi-la.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.