Coréia do Norte é ameaça grave após teste nuclear, diz Seul

A Coréia do Sul classificou a Coréia do Norte como uma ameaça grave, em mais um sinal do crescente afastamento entre os dois países desde que Pyongyang fez um teste nuclear, há três meses.Um documento da Defesa sul-coreana utilizou uma linguagem dura para descrever o vizinho comunista, contrariando a política com que Seul procurou interromper décadas de hostilidade com Pyongyang."As forças regulares da Coréia do Norte, seu teste nuclear, as armas de destruição em massa e a mobilização de seus soldados são uma grave ameaça à nossa segurança", apontou o documento. Dois anos atrás, o termo utilizado foi "ameaça militar direta".O ministério disse que o teste de 9 de outubro, além do desenvolvimento de outras armas de destruição em massa, um Exército de quase dois milhões de soldados e a mobilização adiantada dos armamentos convencionais fazem do Estado comunista uma ameaça ainda mais séria.A Coréia do Norte transferiu mais de 70% de seus soldados de infantaria para o terço do país mais próximo da fronteira com o sul. A mobilização torna possível um ataque-surpresa contra a Coréia do Sul sem um grande destacamento das forças, segundo o documento.O país também levou 40% de seus 820 caças para a região sul, e uma frota de aviões cargueiros pode transportar unidades especiais para a Coréia do Sul se houver uma guerra.A Coréia do Norte provavelmente extraiu mais de 50 quilos de plutônio desde 1994, com mais de 30 quilos tendo sido obtidos nos últimos três anos, quando o país negociava com as potências regionais para encerrar seu programa nuclear, disse um funcionário ministerial.As duas Coréias, Estados Unidos, Japão, Rússia e China fracassaram em sua última rodada de conversas na semana passada em suspender as atividades nucleares de Pyongyang, em troca de ajuda e de melhores relações com Washington e Tóquio.Estimativas do arsenal nuclear da Coréia do Norte variam de uma ou duas armas a 10 ou mais. Acredita-se que seu estoque de plutônio seja suficiente para produzir 13 bombas, de acordo com algumas estimativas.A Coréia do Norte anunciou em 9 de outubro ter conduzido com sucesso um teste nuclear, provocando uma resolução do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, que condenou o teste e aplicou sanções financeiras e comerciais ao país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.