Coreia do Norte exige que Seul peça perdão por insultos

A Coreia do Norte exigiu hoje que a Coreia do Sul peça desculpas pelo que chamou de "insultos" durante as festividades de aniversário do país ou enfrente uma "guerra santa". No domingo, o Norte realizou celebrações em massa para marcar o 100º aniversário do "Dia do Sol", o dia do nascimento do falecido presidente e fundador do país, Kim Il Sung.

DOW JONES, Agência Estado

19 de abril de 2012 | 01h32

O polêmico lançamento de um foguete, na última sexta-feira, era para ter sido o ápice das festividades, mas o projétil - suspeito de ser um teste nuclear disfarçado - explodiu cerca de dois minutos após ser lançado.

"O regime fantoche de traidores deve pedir desculpas imediatamente pelo seu grave crime de manchar as nossas festividades do Dia do Sol", disseram, em uma declaração conjunta, o governo, o partido e vários grupos sociais norte-coreanos, no site da agência oficial de notícias.

Caso contrário, segue a nota, o povo e os militares norte-coreanos "irão liberar sua raiva vulcânica e organizar uma guerra santa de retaliação para acabar com os traidores nesta Terra".

A declaração rebateu os comentários do presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak, e da mídia conservadora. Lee disse que o lançamento do malogrado foguete custou cerca de US$ 850 milhões, que poderiam ter sido utilizados pela faminta Coreia do Norte para comprar 2,5 milhões de toneladas de milho.

"O traidor Lee Myung-bak assumiu a liderança dos vitupérios durante as festividades", continuou o comunicado norte-coreano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.