Coreia do Norte expulsa sul-coreanos de resort 'da paz'

A reclusa Coreia do Norte deu nesta segunda-feira um prazo de 72 horas para que sul-coreanos que trabalhavam em um resort turístico administrado em conjunto pelas duas Coreias deixem o país. As autoridades norte-coreanas disseram que se esgotou o tempo para resolver uma disputa sobre o que já foi um símbolo de cooperação entre as duas Coreias.

JEREMY LAURENCE, REUTERS

22 de agosto de 2011 | 13h02

O resort Mount Kumgang estava fechado desde que um soldado norte-coreano matou a tiros um turista sul-coreano ali em 2008, secando uma fonte lucrativa de moeda corrente para o empobrecido Norte.

O governo norte-coreano teve enormes prejuízos devido à "suspensão unilateral" das operações do Sul no resort, disse um porta-voz do Escritório de Orientação da Zona Especial do Norte para Excursão Internacional no Mt. Kumgang.

Até agora o Norte "forneceu várias oportunidades para negociações e fez sinceros esforços, avançando em uma ampla gama de opções para que as propriedades fossem negociadas segundo o desejo de empresas do lado sul", disse ele.

"Isso não é bom", declarou Chung-in Moon, da Universidade Yonsei, em Seul. "A Coreia do Norte vem enviando uma mensagem muito clara, mas nosso governo vem adiando a decisão. Não sei por que eles lidam com a situação dessa maneira."

O resort - que inclui hotéis, restaurantes e um campo de golfe - foi aberto em 1998 durante um período de reaproximação entre as duas Coreias, que durou uma década. Esse período terminou com a eleição na Coreia do Sul do presidente conservador Lee Myung-bak, em 2008, que declarou que não haveria ajuda para o vizinho até que o Norte abandonasse seu programa de armas nucleares.

As relações entre as Coreias declinaram substancialmente nos últimos três anos, atingindo uma nova baixa no ano passado, quando 50 sul-coreanos foram mortos em dois ataques e o Norte revelou uma instalação de enriquecimento de urânio.

Mas as tensões se abrandaram na península este ano e uma onda de diplomacia aumentou a esperança de uma retomada de negociações regionais para desmantelar o programa nuclear do Norte.

O líder norte-coreano Kim Jong-il está atualmente visitando o Extremo Leste da Rússia, onde deve se encontrar com o presidente russo, Dmitry Medvedev, no final desta semana.

(Reportagem de Jeremy Laurence)

Tudo o que sabemos sobre:
COREIASEXPULSAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.