Korean Central News Agency/Korea News Service via AP
Korean Central News Agency/Korea News Service via AP

Coreia do Norte faz crítica direta à China em meio a tensão regional

Gigante asiático é o maior parceiro comercial dos norte-coreanos e esse tipo de comentário negativo é raro

O Estado de S.Paulo

04 Maio 2017 | 02h02

SEUL - A Coreia do Norte emitiu uma rara crítica direta à China por meio de um comentário dizendo que as "considerações imprudentes" sobre seu programa nuclear estão testando a paciência dos norte-coreanos e podem ter "graves" consequências. 

A China, o maior parceiro comercial da Coreia do Norte, suspendeu importações do carvão norte-coreano. A atitude está em linha com as sanções da ONU e Pequim tem insistido para que seu tradicional aliado pare com suas atividades nucleares e balísticas. 

O comentário publicado na quarta-feira, 3, pela agência estatal KCNA, diz que a "série de considerações absurdas e imprudentes são agora ouvidas diariamente da China apenas para tornar a situação ainda mais tensa". 

"A China não deveria testar os limites da paciência da Coreia do Norte", continua o comentário. O artigo não foi atribuído a nenhum oficial ou agência do governo. O autor foi identificado apenas como Kim Chol. Mesmo assim, é pouco usual para o país criticar diretamente a China. 

O The Global Times, um tabloide nacionalista publicado pelo Partido Comunista, afirmou na quinta-feira, 4, em editorial que as ações da Coreia do Norte ameaçam um pacto de não-agressão de 1961 entre os dois países. Diz, ainda, para o país encerrar seus testes nucleares. "A China não vai permitir que seja contaminada pelas atividades nucleares da Coreia do Norte". 

 

O jornal também alertou que os chineses iriam impor um embargo de petróleo contra a Coreia do Norte em resposta a outros testes. / AP

 

Mais conteúdo sobre:
Coreia do NortePequimChinaONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.