Kim Ju-sung/AP
Kim Ju-sung/AP

Coreia do Norte faz disparos na fronteira marítima pelo 3º dia

Desde quarta-feira, país comunista realiza exercícios militares e eleva tensão com vizinhos do sul

Efe,

29 de janeiro de 2010 | 07h45

Pelo terceiro dia seguido, a Coreia do Norte efetuou vários disparos de artilharia perto da linha de fronteira com Coreia do Sul no Mar Ocidental (Mar Amarelo), informaram nesta sexta-feira, 29, fontes militares sul-coreanas.

 

Entre as 7h50 e as 11h50 locais (20h50 de quinta e 00h50 de sexta em Brasília), as forças militares de Pyongyang dispararam cerca de vinte projéteis em águas norte-coreanas, informou em Seul um responsável do Estado-Maior Conjunto sul-coreano, citado pela agência Yonhap.

 

Embora tenham sido efetuados em águas do Norte, os disparos aconteceram perto da ilha sul-coreana de Yeonpyeong, localizada na fronteira marítima traçada após a Guerra da Coreia (1950-1953) por tropas da ONU lideradas pelos EUA e não reconhecidas por Pyongyang.

 

O responsável do Estado-Maior sul-coreano acrescentou que Seul mantém forte vigilância em relação às atividades norte-coreanas, apesar dos disparos não cruzarem a fronteira marítima.

 

As operações militares norte-coreanas na zona começaram na quarta-feira, um dia depois que o regime comunista de Pyongyang proibiu a navegação na área marítima fronteiriça até o dia 29 de março.

 

As autoridades da Coreia do Norte alegaram que as manobras fazem parte de exercícios militares anuais em seu território.No primeiro dia de disparos, Seul respondeu com fogo de advertência sem que houvesse perdas humanas ou danos materiais em nenhum dos lados. Entre quarta e quinta-feira, Pyongyang efetuou cerca de 350 disparos de artilharia, indicou o ministro sul-coreano de Defesa, Kim Tae-young.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do SulCoreia do Nortedisparos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.