Coréia do Norte faz nova ameaça de boicote ao diálogo nuclear

Se os Estados Unidos não retirarem as sanções financeiras impostas ao regime comunista de Pyongyang, acusado de falsificação e lavagem de dinheiro, a Coréia do Norte promete boicotar as negociações multilaterais sobre seu programa de armas nucleares. Em comunicado oficial divulgado nesta terça-feira pela Agência Central de Notícias norte-coreana e pelo jornal governista Rodong Sinmun, a cúpula comunista afirmou que, "enquanto persistirem as sanções dos EUA, é impossível sentar para negociar o abandono da capacidade de dissuasão nuclear". Segundo as autoridades norte-coreanas, com as sanções os Estados Unidos estão, deliberadamente, colocando obstáculos às negociações internacionais sobre o programa nuclear da Coréia do Norte. Em 31 de dezembro, a Coréia do Norte ameaçou não voltar ao diálogo multilateral em Pequim, envolvendo Coréia do Sul, EUA, China, Rússia e Japão, se Washington persistir em sua política hostil contra o governo comunista.A Coréia do Norte reconheceu em 10 de fevereiro de 2005 que tinha conseguido produzir armas nucleares com o programa atômico militar iniciado no final de 2002, em violação aos acordos internacionais e de um convênio assinado com os EUA em 1994.A quinta e última rodada de conversações multilaterais entrou em recesso em novembro passado, devido às diferenças entre norte-coreanos e americanos, depois que Pyongyang advertiu que sua participação no diálogo está condicionada à retirada das sanções financeiras impostas pelos EUA. Para a Coréia do Norte, as sanções fazem parte de um plano americano para derrubar o regime comunista.As conversas deviam recomeçar agora em janeiro, para analisar a aplicação do compromisso adotado pela Coréia do Norte em uma declaração conjunta assinada pelos países participantes da quarta rodada, concluída em Pequim em setembro passado.Nessa declaração, Pyongyang se comprometeu a desmantelar suas armas nucleares e voltar ao Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP). Mas, posteriormente, exigiu o fornecimento de um reator atômico de água leve para fins nucleares pacíficos.A Coréia do Norte já havia boicotado o processo de conversas multilaterais em setembro de 2004, quando devia ter acontecido a quarta rodada de diálogo, que começou efetivamente em agosto de 2005 e terminou em setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.