Coreia do Norte forneceu mísses de potencial nuclear ao Irã, diz WikiLeaks

Foguetes norte-coreanos teriam a capacidade de atingir capitais no oeste da Europa e Moscou

estadão.com.br

28 de novembro de 2010 | 17h56

NOVA YORK - O Irã obteve acesso a um sofisticado sistema de mísseis capaz de atingir o oeste da Europa graças à ajuda da Coreia do Norte, revelam os documentos secretos divulgados pelo site WikiLeaks neste domingo, 28. Os foguetes são muito mais poderosos do que qualquer arma publicamente conhecida do arsenal iraniano.

 

Veja também:

linkWikiLeaks: Hillary ordenou espionagem sobre a ONU

linkWikiLeaks: Arábia Saudita pediu aos EUA ataque contra o Irã

linkHoras antes do vazamento, WikiLeaks se diz sobre ataque

 

Segundo o WikiLeaks, Teerã obteve 19 desses mísseis da Coreia do Norte, segundo um documento datado do dia 24 de fevereiro de 2010. Os papeis são um registro de uma reunião entre oficiais dos EUA e da Rússia. Um dos americanos, Vann H. Van Diepen, é funcionário do Departamento de Estado e esteve envolvido nas investigações sobre as capacidades nucleares do Irã.

 

Os mísseis, baseados no design do foguete russo R-27, dão ao Irã a capacidade de atacar capitais no oeste europeu ou cidades russas. Desde 2006 especula-se que a Coreia do Norte poderia vender ao Irã os armamentos, que poderiam carregar material nuclear.

 

Especialistas de controle de armas concluíram que componentes para a produção dos foguetes chegaram ao Irã, mas que haveria pouco apoio para que os mísseis fossem construídos.

 

O documento divulgado pelo WikiLeaks mostra que as agências de inteligência americana acreditam que o Irã esteja investindo em uma nova geração de mísseis. Além disso, as agências acreditam que Pyongyang e Teerã teriam uma esquema de cooperação nuclear.

 

A versão coreana do míssil, conhecido como BM-25, pode levar material nuclear explosivo. Embora os especialistas acreditem que o Irã ainda não tenha tecnologia o suficiente para produzir material nuclear com finalidades bélicas, especula-se que esse seja o objetivo do programa atômico iraniano.

 

Atualmente, o alcance máximo dos mísseis conhecidos do arsenal iraniano chega a até 1.930 quilômetros. Em termos práticos, o Irã é capaz de atingir alvos no Oriente Médio e no Leste Europeu. O míssil russo, lançado de submarinos, tem o alcance de 2.414 quilômetros. A versão norte-coreana seria ainda mais potente - pode acertar alvos a 3.218 quilômetros.

 

As sanções aprovadas pelo Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) em junho deste ano afetam o sistema de mísseis do Irã, mas principalmente têm o objetivo de desacelerar o programa nuclear iraniano.

 

As potências ocidentais acreditam que o Irã mantenha seu programa nuclear para a obtenção de armas atômicas, o que a República Islâmica nega. Os países têm tentado negociar com Teerã uma série de soluções para evitar que o enriquecimento de urânio iraniano tenha finalidades bélicas.

 

O WikiLeaks é um site que se dedica a revelar documentos militares secretos dos EUA e de outros países. Neste ano, o site divulgou cerca de 400 mil documentos secretos sobre a guerra do Iraque. Antes disso, o WikiLeaks já havia divulgado 90 mil relatórios confidenciais sobre abusos cometidos no Afeganistão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.