Coreia do Norte homenageia líder sul-coreano morto

A Coreia do Norte enviou hoje uma delegação diplomática de alto escalão para visitar o local de luto do ex-presidente da Coreia do Sul, Kim Dae-jung, que faleceu na terça-feira desta semana aos 85 anos. Os países têm relações diplomáticas tensas, e esta foi a primeira visita oficial dos norte-coreanos em dois anos. Em seu governo, Kim Dae-jung tentou reatar os laços bilaterais com uma política conciliadora, e foi respeitado por isso nos dois lados da fronteira. O sul-coreano ganhou o prêmio Nobel da Paz pelo esforço, no ano 2000. Atualmente, o governo do sul é mais linha-dura e pressiona os norte-coreanos para que interrompam seus testes nucleares, mas Pyongyang afirma se sentir ameaçada por Seul e pelos EUA.

AE-AP, Agencia Estado

21 de agosto de 2009 | 20h40

O chefe da delegação norte-coreana Kim Ki Nam e os seis diplomatas vestidos de preto olharam com respeito para o retrato de Kim Dae-jung antes de cumprimentar a família do presidente morto. Eles também deixaram uma coroa de flores com o nome em destaque do líder norte-coreano Kim Jong Il no altar de homenagens ao ex-presidente.

O Ministério da Unificação sul-coreano anunciou que manterá conversações com os funcionários norte-coreanos presentes no país. Os visitantes, entre eles o chefe do setor de espionagem, Kim Yang Gon, manterão diálogo com o ministro de Unificação, Hyun In-taek, amanhã.

Oficialmente, as duas Coreias permanecem em guerra, porque o conflito civil de três anos acabou em 1953 com um cessar-fogo, não com um tratado de paz. As relações entre as Coreias pioraram desde o ano passado, quando o conservador Lee Myung-bak assumiu o poder em Seul, pregando uma linha-dura para o vizinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.