Coréia do Norte lança míssil sobre o Mar do Japão

Lançamento com míssil de curto alcance precede visita da AIEA a complexo nuclear

Agências internacionais, Agencia Estado

27 Junho 2007 | 14h42

A Coréia do Norte lançou nesta quarta-feira, 27, um míssil de curto alcance sobre o Mar do Japão, no mesmo dia em que confirmou a permissão aos inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) para visitar a central de Yongbyon, informou a agênciajaponesa Kyodo.O regime norte-coreano fez dois testes similares no fim de maio e no início de junho que não causaram grandes preocupações na região e foram considerados pela Coréia do Sul como manobras de rotina.O lançamento desta quarta coincide com o anúncio feito pelo chefe dos inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA),que visitam desde terça-feira a Coréia do Norte, de que na quinta-feira a delegação irá ao centro de Yongbyon, o complexo nuclear que centraliza a capacidade atômica de Pyongyang.Programa nuclearA central que os inspetores da agência pretendem visitar é a principal instalação nuclear do país comunista, que se comprometeu a fechar suas portas num acordo assinado em fevereiro, em troca de ajudas internacionais.Por enquanto, o chefe da delegação da AIEA, Olli Heinonen, considerou "não apropriado" revelar o estado das negociações com o Escritório Geral da Energia Atômica norte-coreano. Mas ele destacou que foi uma "boa reunião".A missão de inspetores chegou na terça-feira a Pyongyang para iniciar o processo de verificação do fechamento das instalações nucleares da Coréia do Norte, segundo informou a Agência Central de Notícias da Coréia do Norte.Esta é a primeira viagem em cinco anos de uma missão do órgão ao país. Em dezembro de 2002 os inspetores foram expulsos, depois de os Estados Unidos acusarem a Coréia do Norte de desenvolver em segredo um programa nuclear de urânio enriquecido.Pyongyang convidou os inspetores da AIEA após confirmar que tinha recebido os US$ 25 milhões que tinham sido bloqueados durante meses num banco de Macau. Dias depois, o negociador nuclear americano Christopher Hill realizou uma visita surpresa de dois dias ao país comunista, que conseguiu relançar o processo de desnuclearização da península coreana.No fim de semana, uma delegação européia visitou a Coréia do Norte. O deputado do Parlamento Europeu Hubert Pirker afirmou que o regime comunista parece disposto a avançar. Pirker afirmou que os representantes da União Européia têm "a impressão" de que a Coréia do Norte realmente está disposta a desmantelar o reator de Yongbyon.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.