KCTV / AFP
KCTV / AFP

Coreia do Norte levantou US$ 2 bi em ataques virtuais para financiar programa de armas, diz ONU

Pyongyang teria lançado ataques para roubar fundos de instituições financeiros e corretoras de criptomoedas

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2019 | 04h17

NOVA YORK - A Coreia do Norte ganhou estimados US$ 2 bilhões por meio de ataques cibernéticos em grande escala para ajudar a financiar seus programas de armas, de acordo com um relatório da ONU.

Segundo o documento, o governo de Pyongyang “utilizou o ciberespaço para lançar ataques cada vez mais sofisticados para roubar fundos de instituições financeiros e corretoras de criptomoedas para gerar receitas”. 

A Coreia do Norte “continuou a aprimorar seus programas nuclear e de mísseis, embora não tenha conduzido um teste nuclear ou lançamento de míssil balístico intercontinental”, diz o relatório dirigido ao comitê de sanções para a Coreia do Norte do Conselho de Segurança da ONU, composto por especialistas independentes que monitoram o cumprimento das medidas nos últimos seis meses. 

A missão norte-coreana na ONU não respondeu a um pedido de comentários sobre o relatório, que foi submetido ao comitê do Conselho de Segurança na semana passada. 

“Os ciber-agentes da República Democrática Popular da Coreia, muitos deles operando sob a direção do Gabinete de Reconhecimento Geral, levantam dinheiro para seus programas de armas de destruição em massa, chegando a US$ 2 bilhões”, afirmou o relatório. 

Coreia do Norte disparou nesta segunda-feira (hora de Brasília e terça-feira na hora local), 6, dois projéteis não identificados da Província de Hwanghae Sul em direção ao mar, informou o Comando das Forças Armadas da Coreia do Sul, enquanto a chancelaria da Coreia do Norte protestava contra um exercício militar conjunto entre os EUA e a Coreia do Sul./ Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do Norte [Ásia]crime virtual

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.