Coréia do Norte libertará familiares de japoneses seqüestrados

A Coréia do Norte acenou neste sábado para a libertação dos familiares de cidadãos japoneses seqüestrados por agentes de Pyongyang. Em troca, o Japão concordou em enviar 250 mil toneladas de alimentos e US$ 10 milhões em medicamentos para os norte-coreanos. O acordo firmado em um encontro entre o primeiro-ministro japonês, Junichiro Koizumi, e o líder da Coréia do Norte, Kim Jong Il, é um avanço para a retomada das relações diplomáticas entre os países vizinhos. Em 2002, a Coréia do Norte admitiu ter seqüestrado 13 japoneses nas décadas de 1970 e 1980. Pyongyang informou que oito haviam morrido, mas permitiu que os outros cinco voltassem para o Japão sem suas famílias. Desde então, o Japão tem pressionado pela libertação de sete crianças e de um norte-americano, Charles Jenkins, marido de uma das seqüestradas. Na reunião, que durou uma hora e meia, Koizumi alertou a Kim Jong Il sobre a necessidade de a Coréia do Sul abandonar seus programas nucleares. ?Há muito pouco a se ganhar na comunidade internacional quando se possui armas nucleares?, disse o primeiro-ministro japonês à imprensa em Pyongyang.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.