Coreia do Norte permite regresso parcial de sul-coreanos

Fronteiras foram fechadas há 3 dias, impedindo passagem de suprimentos para fábricas do sul em zona conjunta

Associated Press,

16 de março de 2009 | 17h58

Três dias depois de fechar a fronteira, a Coreia do Norte a reabriu parcialmente nesta segunda-feira, 16, para permitir que parte de sul-coreanos localizados na zona industrial conjunta retornasse ao país. No entanto, o governo norte-coreano não autorizou que trabalhadores ou carregamentos de suprimentos voltassem por completo às fábricas de Kaesong que são administradas por sul-coreanos, forçando muitas a suspenderem operações.

 

Veja também:

linkCoreia do Sul exige que o Norte pague custos do bloqueio

lista Conheça o arsenal de mísseis norte-coreano

 

As restrições, acusadas de arbitrariedade, estão causando nervosismo entre os empresários da Coreia do Sul que têm indústrias em Kaesong e precisam de matérias-primas para produzir desde relógio à sapatos e eletrodomésticos. A Coreia do Norte não divulgou uma explicação oficial para negar a entrada de trabalhadores a Kaesong, mas nos últimos meses sua relação com o sul tem piorado.

 

Tecnicamente, as duas Coreias estão em guerra, porque o último conflito entre as partes - que aconteceu entre 1950 e 1953 - terminou com um armistício, não com um acordo de paz. As tensões na península se intensificaram nas últimas semanas com o anúncio da Coreia do Norte que planeja lançar um satélite, algo que muitos poderes ocidentais suspeitam que seja um pretexto para teste de mísseis balísticos.

 
Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do NorteCoreia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.