Coréia do Norte pode não cumprir prazo para fechar reator

O prazo final para Pyongyang pôr fim ao reator nuclear pode não ser cumprido. Isso porque a Coréia do Norte aguarda a liberação de fundos em Macau, anunciada pelos Estados Unidos há um mês. A afirmação foi do negociador chinês Wu Dawei nesta quarta-feira, 4, à agência japonesa Kyodo. A agência de notícias Kyodo ouviu Wu Dawei que disse aos repórteres japoneses em Beijing ser difícil para a Coréia do Norte estabelecer um prazo para encerrar as atividades nucleares em Yongbyong. Coréia do Sul e do Norte, Estados Unidos, China, Japão e Rússia acordaram em conjunto em 13 de fevereiro dar a Coréia do Norte 60 dias para acabar com o reator nuclear Yongbyon. "Eu acredito que é definitivo. Não há como ajudar", disse Wu à Kyodo em referência ao não cumprimento do prazo. "A retomada das negociações só recomeça" entre os Estados Unidos e a Coréia do Norte depois da transferência dos fundos do Banco de Macau, afirmou Wu. O negócio de US$ 25 milhões, que já devia ter acontecido, deve ser resolvido por uma delegação conduzida pelo sub-secretário do Tesouro norte-americano, Daniel Glaser, que ficará alguns dias em Beijing. A Coréia do Norte se recusa a fazer parte das negociações adicionais para o desmantelamento de seu programa nuclear até que ocorra a transferência do dinheiro congelado no Banco Delta Asia, em Macau, para uma conta da Coréia do Norte no Banco da China.O dinheiro foi congelado devido a denúncias dos EUA contra o banco, que estaria permitindo operações financeiras ilegais da Coréia do Norte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.