Coréia do Norte pode sair da lista de terrorismo

Washington cogita excluir Pyongyang do 'eixo do mal' mesmo sem alcançar exigências impostas ao governo

Reuters,

25 de setembro de 2007 | 15h29

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, deu indícios nesta segunda-feira, 25, de que a Coréia do Norte pode ser tirada de uma lista do governo dos Estados Unidos com países acusados de patrocinar o terrorismo antes de assumir toda a responsabilidade pelos cidadãos japoneses que seqüestrou.Uma manobra do tipo pode contrariar o Japão, um importante aliado dos EUA para quem o destino dos reféns,  seqüestrados por agentes norte-coreanos nos anos 1970 e 80 e mantidos no país por décadas, representa uma questão politicamente delicada.A presença da Coréia do Norte na lista de países acusados pelos norte-americanos de patrocinarem o terrorismo, o que significa sofrer uma série de sanções, tornou-se uma moeda de barganha nas negociações multilaterais que tentam convencer o governo norte-coreano a abrir mão de seus programas nucleares.O principal negociador dos EUA nesse processo sugeriu recentemente que o país asiático poderia ser tirado da lista antes de abandonar todos os seus programas atômicos, conforme prevê um acordo assinado em 2005 pelas duas Coréias, a China, o Japão, a Rússia e os EUA.SeqüestroQuestionada sobre a possibilidade  do governo norte-americano tirar a Coréia do Norte da lista antes também de o país oferecer um relato completo sobre o destino dos cidadãos japoneses seqüestrados, Rice disse que os EUA não deveriam ficar de mãos atadas quando se tratasse de oferecer esse tipo de incentivo aos norte-coreanos."Não acredito que desejamos ingressar em uma situação na qual teríamos travado todos os passos que podemos adotar em relação aos norte-coreanos. Teríamos travado esses passos em uma determinada seqüência com outros passos que, segundo acreditamos, precisam ser dados", afirmou Rice em uma entrevista concedida à Reuters."Precisamos ser capazes de usar todos os incentivos de que dispomos e que sejam apropriados para a fase em que nos encontramos em relação aos norte-coreanos", acrescentou.O destino dos japoneses seqüestrados pela Coréia do Norte é uma questão altamente delicada no Japão. O governo de Tóquio pode ficar indignado caso os EUA resolvam tirar a Coréia do Norte de sua lista negra.Em 2002, o governo norte-coreano admitiu que seus agentes seqüestraram 13 japoneses. Desde então, e depois de morarem durante anos na Coréia do Norte, cinco deles foram repatriados. Os outros oito estão mortos, mas o governo japonês deseja ter mais informações sobre o destino deles, bem como informações sobre outras quatro pessoas que também teriam sido seqüestradas pelos norte-coreanos.

Tudo o que sabemos sobre:
Coréia do NorteEUAterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.