Coreia do Norte prende espião sul-coreano, diz agência oficial de notícias

Segundo o Ministério da Segurança, homem confessou ter entrado em Pyongyang ilegalmente

O Estado de S. Paulo,

07 de novembro de 2013 | 14h57

SEUL - A Coreia do Norte informou nesta quinta-feira, 7, que prendeu e investiga um espião sul-coreano, em um raro relato da captura de um agente secreto por parte de um dos países rivais.

O homem foi preso na capital norte-coreana, Pyongyang, e confessou ter entrado no país ilegalmente, disse o Ministério da Segurança do Estado norte-coreano, em declarações reproduzidas pela agência oficial de notícias KCNA.

"Uma investigação inicial indica que ele estava engajado em espionagem anti-RDPC e em atividades para incitar golpes em um terceiro país que faz fronteira com a RDPC há quase seis anos, enquanto se disfarçava de religioso", disse a KCNA, referindo-se ao nome oficial da Coreia do Norte, República Democrática Popular da Coreia (RDPC).

A KCNA não identificou o suspeito nem o "terceiro país". "Ele entrou para reunir elementos desonestos dentro da fronteira da RDPC e usá-los para minar a estabilidade do sistema social", disse a KCNA, sem dar mais detalhes.

Uma autoridade do Serviço Nacional de Inteligência do Sul classificou o relato como "sem fundamento" e disse que não tinha nada mais a declarar.

Anúncios públicos de prisões de agentes secretos tanto pelo Sul quanto pelo Norte se tornaram raros apesar do nível elevado de atividades de espionagem conduzidas pelos rivais desde o fim da Guerra da Coreia (1950-53).

A Coreia do Norte processou cidadãos americanos por conspirarem para minar a segurança do país e mantém preso um missionário sul-coreano nascido nos Estados Unidos que foi condenado a 15 anos de trabalho forçado.

Norte e Sul estão em um impasse depois que uma nova tentativa de promover o diálogo fracassou em setembro, em meio a dúvidas de ambos os lados sobre a sinceridade do outro no processo que buscava aliviar as tensões.

Meses de retórica hostil no início deste ano levaram a tensão a seu nível mais alto em anos. A Coreia do Norte, que conduziu testes nucleares, ameaçou inclusive realizar um ataque nuclear contra os EUA e à Coreia do Sul./ REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.