Coréia do Norte promete retomar desmantelamento nuclear

Após Pyongyang permitir vistoria de bases nucleares, americanos deixam de qualificar o país como terrorista

Associated Press e Reuters,

12 de outubro de 2008 | 10h02

A Coréia do Norte afirmou neste domingo, 12, que vai retomar o desmantelamento de suas instalações nucleares. O anúncio foi feito um dia após o governo americano retirar o país de sua lista de Estados patrocinadores do terrorismo. Em resposta à Coréia do Norte ter permitido inspeções de suas instalações nucleares, os EUA retiraram o país da lista de nações que apóiam o terrorismo. O presidente americano, George W. Bush, chegou incluir a o regime de Pyongyang no chamado "eixo do mal", juntamente com Irã e Iraque. Com a decisão, Washington pretende retomar o acordo de desarmamento com os norte-coreanos antes do fim do governo Bush, em janeiro de 2009. Em protesto por permanecer na lista de Estados que apóiam o terrorismo, o país havia interrompido o processo em agosto, elevando a tensão nas negociações. A chancelaria norte-coreana confirmou que permitirá novamente que inspetores americanos e da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) entrem no complexo nuclear de Yongbyon para verificar o processo de desmantelamento, prometido em um acordo em 2007 com os EUA e quatro potências regionais - China, Japão, Rússia e Coréia do Sul. "Damos boas vindas aos EUA, que honraram o seu compromisso de retirar a Coréia do Norte de sua lista de 'países patrocinadores do terrorismo', afirmou a diplomacia do país em nota difundida pela agência oficial KCNA. A decisão foi criticada no Japão, tanto pelo governo como por parentes de pessoas capturadas pela Coréia do Norte nos anos 80 e 90. "É lamentável. Seqüestros são atos terroristas", disse o ministro das Finanças Shoichi Nakagawa. O Departamento de Estado americano afirmou que está pressionando Pyongyang a lidar com a questão.  A lista negra dos EUA agora inclui Irã, Cuba, Síria e Sudão - países submetidos a sanções de Washington. Segundo o governo americano, a Coréia do Norte não terá benefícios imediatos e pode retornar à lista de terroristas caso suspenda as inspeções nucleares.

Tudo o que sabemos sobre:
Coréia do Norteprograma nuclearEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.