Coréia do Norte quer fortalecimento militar em 2006

A Coréia do Norte fez hoje uma chamada ao fortalecimento de seu "poder militar" como tarefa prioritária para 2006 e pediu que a Coréia do Sul forme uma frente unida contra o "intervencionismo" dos Estados Unidos.Na mensagem anual de Ano Novo, publicada como um editorial desde 1995 pela imprensa escrita governista, o regime comunista também fez votos para impulsionar o desenvolvimento agrário, como pilar da reconstrução econômica do país. A mensagem, também divulgada pela Agência Central de Notícias da Coréia do Norte (KCNA) e recolhida pela sul-coreana Yonhap, pede ofortalecimento "do potencial do pensamento político e do poder militar", para enfrentar qualquer "provocação" dos EUA.Também pede que a Coréia do Sul, principal aliada junto ao Japão de Washington no Extremo Oriente, una os esforços com Pyongyang para acabar com o "intervencionismo" americano na região. O comunicado urge aos 23 milhões de norte-coreanos para permanecer alerta perante a possibilidade de os EUA lançarem um conflito nuclear na península coreana."A nação inteira deve defender firmemente a paz e a segurança da península coreana, participando de forma resoluta na luta contra as tentativas dos Estados Unidos de lançar uma nova guerra", indica o Editorial.A mensagem assinala que uma forma de evitar esse conflito é obrigar a retirada dos 32.500 soldados que os EUA tem na Coréia do Sul. No comunicado de hoje,o regime norte-coreano não se referiu às conversas multilaterais sobre seu programa de armas nucleares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.