Coréia do Norte realiza novo teste com mísseis

Manobra militar é realizada no dia do depósito do dinheiro retido em Macau

Agencia Estado

21 Junho 2007 | 13h06

A Coréia do Norte disparou nesta terça-feira, 19, um míssil de curto alcance no mar entre a península coreana e o Japão, segundo informações oficiais da inteligência oficial sul-coreana e pelo Ministério de Defesa japonês. Os novos testes aconteceram no mesmo dia em que o dinheiro que permanecia bloqueado durante um ano e meio em um banco de Macau foi depositado nas contas russas de Pyongyang.O governo da Coréia do Sul considera o teste, realizado com foguetes de 100 quilômetros de alcance e foi considerado mais uma das manobras habituais como as duas anteriores realizadas por Pyongyang, em 25 de maio de 7 de junho.O máximo negociador americano no conflito nuclear norte-coreano, Christopher Hill, afirmou que a Coréia do Norte já tem depositados em suas contas na Rússia os US$ 25 milhões que ficaram bloqueados em Macau. Este era o principal impedimento alegado pelo regime comunista de Pyongyang para começar sua desnuclearização, a que tinha se comprometido em um acordo assinado em 13 de fevereiro, em Pequim.Hill chegou nesta terça-feira a Tóquio procedente de Seul para discutir com o negociador japonês, Kenichiro Sasae, o conflito nuclear da Coréia do Norte e analisar o futuro das negociações multilaterais - entre as duas Coréias, EUA, Japão, China e Rússia.Ao chegar, disse aos jornalistas no aeroporto de Haneda que o dinheiro norte-coreano, bloqueado pelos EUA durante um ano e meio sob a alegação de lavagem de dinheiro, "foi depositado hoje na conta norte-coreana em um banco da Rússia".O negociador americano disse que os EUA estão estudando agora a possibilidade de enviar ajuda energética à Coréia do Norte, mas não assistência financeira.O processo de desnuclearização da Coréia do Norte não avançava porque US$ 25 milhões norte-coreanos estavam bloqueados no Banco Delta Asia (BDA) de Macau, mas, no final da semana passada, foi informado que esse dinheiro estava sendo transferido.Antes, o negociador americano visitou Pequim e Seul, onde pediu à Coréia do Norte que acelere seu processo de desnuclearização, com vistas ao desmantelamento do reator de Yongbyon. Programa nuclearA Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) confirmou na segunda-feira que recebeu o convite de Pyongyang para que uma de suas missões de inspetores seja enviada à Coréia do Norte, para discutir o fechamento da usina nuclear de Yongbyon.Pyongyang tinha comprometido a fechar em 60 dias seu reator nuclear de Yongbyon em troca de ajudas internacionais energéticas, em um acordo assinado em 13 de fevereiro, mas o bloqueio de dinheiro norte-coreano em um banco de Macau havia adiado até agora o processo de desarmamento.O retorno dos inspetores da AIEA ao país comunista, após terem sido expulsos no final de 2002, é um dos requerimentos do último acordo para a desnuclearização da Coréia do Norte.Matéria ampliada às 08h48.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.