Coréia do Norte realiza testes com mísseis no Mar do Japão

A Coréia do Norte testou cinco mísseis nas primeiras horas desta quarta-feira (horário local), provocando fortes reações da comunidade internacional, em especial dos governos dos Estados Unidos e Japão. Quatro dos projéteis eram de médio alcance, e caíram no Mar do Japão, localizado entre a península coreana e o arquipélago nipônico. Segundo o governo dos Estados Unidos, o quinto foguete seria um míssil de longo alcance do tipo Taepodong-2, capaz de alcançar o território americano. O projétil falhou 35 segundos após a decolagem. O audacioso exercício militar norte-coreano - realizado no mesmo dia em que os Estados Unidos comemoram a independência do país e paralelamente ao lançamento do ônibus espacial Discovery - foi classificado pela Casa Branca como "uma provocação"."A Coréia do Norte mais uma vez optou pelo isolamento", disse o secretário de imprensa do governo americano Tony Snow. Segundo ele, o presidente dos EUA, George W. Bush, convocou uma reunião emergencial com o secretário de Defesa, Donald H. Rumsfeld, a secretária de Estado, Condoleezza Rice, e o conselheiro de Segurança Nacional, Stephen Hadley."É uma provocação", disse um funcionário do alto escalão da administração, que falou sob condição de anonimato.Ainda em Washington, duas fontes do departamento de Estado disseram que um dos mísseis seria um Taepodong-2, o mais avançado projétil norte-coreano, com um raio de alcance de 6 a 7 mil quilômetros. Segundo os funcionários, que falaram sob condição de anonimato, o projétil falhou cerca de 35 segundos após decolar. De acordo com especialistas, se lançado da península coreana, o Taepodong-2 é capaz de alcançar o território americano.Os outros quatro projéteis de médio alcance seriam mísseis do tipo Rodong, que aterrissaram a 500 quilômetros da costa oeste da ilha japonesa de Hokkaido, informou agência de notícias japonesa Kyodo. Já para uma fonte do Pentágono, que falou sob condição de anonimato, os mísseis de médio alcance eram Scuds.Semanas de especulaçõesOs lançamentos acontecem após semanas de especulação sobre as preparações norte-coreanas para o lançamento do Taepondong-2 de um silo localizado na costa nordeste do país. Diante desta possibilidade, Estados Unidos e Japão emitiram duros avisos ameaçando impor sanções econômicas contra o regime norte-coreano."A Coréia do Norte realizou o lançamento ignorando as advertências internacionais", disse o chefe de gabinete do governo japonês, Shinzo Abe. "O ato é condenável do ponto de vista da segurança do Japão, para a estabilidade da comunidade internacional e em relação ao regime de não proliferação de armas de destruição em massa."Segundo Abe, o primeiro lançamento ocorreu por volta das 3h30 desta quarta-feira (horário local). Se o "timing" estiver correto, os mísseis norte-coreanos começaram a ser lançados com um intervalo de poucos minutos em relação a decolagem do ônibus espacial Discovery, que partiu do Cabo Canaveral nesta terça-feira no primeiro vôo espacial norte-americano do ano.ReaçõesAbe acrescentou que o governo japonês realizará uma reunião emergencial ainda na manhã desta segunda-feira para discutir uma resposta à ação norte-coreana.Em entrevista à Associated Press, o chefe da missão norte-coreana na ONU, Han Song Ryol, disse que a diplomacia de Pyongyang não tem informações sobre as atividades militares do país.Por enquanto, nenhum membro do Conselho de Segurança, que inclui o Japão e os Estados Unidos, convocou uma reunião para discutir as ações da Coréia do Norte."Estamos consultando os membros do conselho", disse o embaixador dos Estados Unidos na ONU, John Bolton.Paralelamente, a Coréia do Sul convocou uma reunião ministerial para discutir a reação ao lançamento, informou a agência de notícias sul-coreana Yonhap. Segundo funcionários do governo citados pela agência, não há dúvidas de que um míssil intercontinental foi lançado.Este texto foi atualizado às 21h18

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.