Coréia do Norte reconhece ter programa nuclear, diz fonte

A Coréia do Norte admitiu aos Estados Unidos que mantém um programa secreto de armas nucleares, garantiu nesta quarta-feira uma fonte do governo norte-americano. A medida violaria um acordo entre os dois países firmado durante a administração do presidente Bill Clinton. Além disso, a Coréia do Norte teria informado a diplomatas dos EUA que não participa mais de um acordo antinuclear, disse a fonte sob a condição de anonimato.A revelação surpreendeu as autoridades norte-americanas e deve atrapalhar ainda mais a já abalada relação bilateral. O atual presidente dos EUA, George W. Bush, incluiu a Coréia do Norte em um suposto "eixo do mal", que seria formado ainda por Irã e Iraque, mas havia esperanças de que a isolada nação asiática desejasse forjar laços com o Ocidente.No início deste mês, o subsecretário de Estado James Kelly viajou a Pyongyang para conversações sobre segurança. Durante sua visita, Kelly pediu ao governo norte-coreano que respondesse às preocupações sobre seus programas de armas comuns e nucleares. Em resposta, Pyongyang acusou o enviado de Bush de fazer "ameaças".A Casa Branca recusou-se a comentar oficialmente o assunto. Segundo a fonte, Kelly entregou ao governo norte-coreano provas de que o país teria um programa de enriquecimento de urânio. Surpreendentemente, disse a fonte, a Coréia do Norte confirmou a acusação. Washington ainda não decidiu como responderá. "Vamos continuar conversando", prosseguiu o funcionário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.