Coréia do Norte recusa-se a abandonar programa nuclear

A Coréia do Norte rejeitou as exigências para que abandone o seu programa de armas nucleares, causando embaraços às primeiras conversações com o Japão, após dois anos de tentativas de estabelecimento de relações diplomáticas. Desde que o Norte admitiu, neste mês, que tem um projeto para o desenvolvimento de armas nucleares, o Japão vem insistindo em que a eliminação de tal programa constitui um requisito para a normalização das relações entre os dois antigos adversários. Os dois dias de conversações iniciados nesta terça-feira também foram obscurecidos pela questão dos seqüestros de japoneses por norte-coreanos nos anos 70 e 80. Os negociadores do Norte acusaram hoje Tóquio de violar uma promessa de que os cinco seqüestrados sobreviventes - que estão visitando o Japão pela primeira vez desde que foram raptados - regressariam à Coréia do Norte. Durante as conversações, o Norte "rejeitou totalmente" os pedidos para que abandone seu programa de armas nucleares, disse um alto funcionário da delegação japonesa, que não quis se identificar. A Coréia do Norte atribui as preocupações a respeito de seu programa aos EUA. Mas outro funcionário japonês acrescentou que o Norte reiterou sua disposição de tentar resolver a questão através de um diálogo com Washington. O segundo em hierarquia da delegação norte-coreana, Pak Ryong Yeon, disse hoje que seu governo deseja discutir a questão do programa nuclear enquanto prosseguem as conversações sobre normalização, e não como uma precondição para estas."O Japão deseja concentrar-se nos seqüestros e questões de segurança", afirmou o negociador norte-coreano. "Mas nós acreditamos que, se trabalharmos em favor dos vínculos diplomáticos, as questões de segurança irão sendo resolvidas durante o processo". O primeiro dia de conversações na esfera dos embaixadores concluiu-se nesta terça-feira à noite (hora local), e espera-se que prossigam na quarta-feira. Tóquio decidiu continuar o diálogo por enquanto, mas admitiu que houve poucos progressos no primeiro dia do encontro. As conversações resultam de uma cúpula sem precedente mantida, em 17 de setembro, entre o líder norte-coreano, Kom Jong Il, e o primeiro -ministro japonês, Junichiro Koizumi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.