Coreia do Norte rejeita diálogo 'humilhante' com EUA

O governo da Coreia do Norte declarou nesta terça-feira que não vai concordar com o diálogo "humilhante" com os Estados Unidos e que as conversações só serão possíveis se Washington abandonar sua política "hostil" e as ameaças nucleares contra o país.

Agência Estado

16 de abril de 2013 | 10h17

"Nós não nos opomos ao diálogo, mas não podemos nos sentar cara a cara numa mesa para um diálogo humilhante com a outra parte, que está empunhando um bastão nuclear", disse o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores norte-coreano em comunicado divulgado pelos meios de comunicação estatais.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse esperar que a Coreia do Norte tome "mais medidas provocadoras" nas próximas semanas. Porém, ele afirmou que seu governo não acredita que Pyongyang tenha a capacidade de colocar uma ogiva nuclear num míssil balístico. Essa conclusão, segundo ele, tem como base informações atuais de inteligência.

Um relatório divulgado na semana passada mostrou que a agência de inteligência do Pentágono tem "confiança moderada" de que Pyongyang tem o conhecimento necessário para instalar uma arma nuclear num míssil balístico.

Obama diz esperar que os Estados Unidos e a comunidade internacional possam conter novas provocações da Coreia do Norte e resolver a questão com o país por meio da diplomacia. As declarações foram feitas ao programa "Today", da rede NBC, e foram ao ar nesta terça-feira. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do NortediálogoEUAObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.