Coréia do Norte rejeita promessa de Bush

A Coréia do Norte rejeitou uma proposta do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, de conceder garantias de segurança ao país comunista se este concordar em abandonar seu programa de armas nucleares. O governo norte-coreano qualificou a promessa como uma "piada indigna de consideração". Em seguida, Bush desconsiderou a resposta norte-coreana e disse que "manteria o curso" em seus esforços para ampliar a pressão internacional a fim de que a Coréia do Norte abandone suas ambições de produzir armas nucleares. No início da semana, Bush apresentou um plano de acordo com o qual China, Coréia do Sul, Estados Unidos, Japão e Rússia ofereceriam à Coréia do Norte garantias por escrito de que ela não será atacada, se prometer desmantelar seu programa nuclear.Numa transmissão de rádio na noite de ontem, a Coréia do Norte reiterou que não assinará nada que não tenha o valor de um tratado formal de não-agressão, tornando ilegal qualquer ação militar preventiva dos Estados Unidos contra o país comunista. "Trata-se de uma piada indigna de consideração", disse a Emissora Central Norte-Coreana, estatal, sobre a proposta de Bush.Bush descarta um tratado nos moldes exigidos pelos norte-coreanos. Ele quer um acordo que dê garantias de segurança da Coréia do Norte para trazê-la de volta às negociações, mas não pretende abdicar da possibilidade de um ataque americano contra o país asiático.

Agencia Estado,

22 de outubro de 2003 | 18h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.