Coreia do Norte será ameaça direta aos EUA em cinco anos, diz Gates

Secretário de Defesa dos EUA afirma que Pyongyang deve paralisar teste nucleares e de mísseis

Associated Press

11 de janeiro de 2011 | 08h41

PEQUIM - O secretário de Defesa dos EUA, Robert Gates, disse nesta terça-feira, 11, que a Coreia do Norte se mostrará uma ameaça direta aos EUA em apenas cinco anos, caso "não puxem as rédeas" da ditadura comunista de Kim Jong-il.

 

Veja também:

blog Arquivo Estado: O armistício de Pan-Mun-Jon

especial Infográfico: As origens do impasse na península coreana

 

Gates, que está na China e se encontrou com o presidente Hu Jintao, citou o desenvolvimento de mísseis balísticos intercontinentais de Pyongyang e os esforços dos norte-coreanos para ampliar sua capacidade nuclear. O chefe do Pentágono também alertou que a tolerância da Coreia do Sul com os vizinhos do Norte "está se esgotando".

 

O secretário ainda disse que está na hora de Pyongyang demonstrar que está pronta para retomar o diálogo com Seul, e que para isso deveria paralisas os testes de mísseis e testes nucleares.

 

Gates disse que a China desempenhou seu papel ao apaziguar as tensões na Península Coreana e adiantou que a Coreia do Norte deverá ser um dos principais assuntos a serem discutidos pelos presidentes Hu e Barack Obama em Washington na semana que vem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.