Coréia do Norte suspende negociações com Seul

A Coréia do Norte suspendeu, na madrugada deste sábado, por tempo indeterminado, as negociações com a Coréia do Sul, por conta do apoio do governo de Seul ao ataque dos Estados Unidos contra o Iraque. Segundo a Radio Pyongyang, o anúncio da suspensão foi feito pelo negociador norte-coreano Pak Chang Ryon, chefe da delegação do país na reunião que trataria da cooperação econômica e marítima entre as duas Coréias que deveria acontecer em Pyongyang, na próxima semana. Na última quarta-feira, o presidente sul-coreano, Roh Moo Hyun, anunciou o apoio de seu governo a Washington na guerra e prometeu o envio de um contingente de tropas de ajuda humanitária. Roh afirmou fazer o possível para as ?prevenir conseqüências negativas? de sua decisão nas relações entre as duas Coréias. O governo de Seul acredita que a suspensão das negociações abre um cenário de alarme na crise provocada pelo programa nuclear secreto de Pyongyang. Já na sexta-feira, a Coréia do Norte acusou os Estados Unidos de estarem preparando, sob a ?fachada? das manobras conjuntas realizadas todos os anos com o exército sul-coreano, um ataque preventivo contra suas instalações nucleares. O regime comunista de Pyongyang, que desde janeiro passado desafiou Washington ao abandonar a cooperação com os inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) que visitavam as plantas nucleares do país, foi incluído em um suposto ?Eixo do Mal? pelo presidente norte-americano George W. Bush, ao lado do Irã e do Iraque, depois dos atentados de 11 de setembro de 2002.Até o momento, a invasão do Iraque já custou mais de US$ 40 milhões para a Coréia do Sul, como conseqüência da suspensão de 229 exportações previstas para a última semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.