Coreia do Norte suspende reunião com enviado dos EUA

Os Estados Unidos estão "surpresos e desapontados" com o fato de a Coreia do Norte ter cancelado o encontro com o enviado especial Robert King a Pyongyang, para negociar a libertação do guia turístico Kenneth Bae, de 45 anos, preso desde novembro.

Agência Estado

31 de agosto de 2013 | 15h50

"Continuamos seriamente preocupados com a saúde do Sr. Bae e voltamos a pedir urgência às autoridades norte-coreanas em concedê-lo anistia especial e imediata libertação por razões humanitárias", disse, em comunicado, a porta-voz do Departamento de Estado Marie Harf.

King agora retorna aos EUA, depois de uma viagem de duas semanas discutindo os direitos humanos da Coreia do Norte com autoridades em Pequim, Seul e Tóquio.

Bae, ex-guia turístico e missionário cristão, foi preso em novembro depois de entrar na cidade de Rason. Ele foi condenado em abril a 15 anos de trabalho forçado por "atos hostis". O ex-morador do estado de Washington é o prisioneiro norte-americano com maior tempo em poder da Coreia do Norte. Ele é diabético e tem problemas cardíacos, e esteve no hospital após perder muito peso.

Neste sábado, a Coreia do Norte culpou Washington pelo cancelamento do encontro, citando os exercícios militares conjuntos dos EUA e da Coreia do Sul como a "mais descarada chantagem nuclear". Mas o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte disse, em comunicado, que o país ainda pretende permitir a visita do enviado especial e ter "uma sincera discussão com ele". Fonte: Dow Jones Newswires. (Gabriela Forlin)

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do NorteEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.