Coréia do Norte teme vir a ser o próximo Iraque

A Coréia do Norte advertiu que os Estados Unidos poderiam atacar esta nação comunista em breve, gerando o que chamou de "uma segunda crise iraquiana". Considerada pelo presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, como parte de um chamado "eixo do mal", junto com o Iraque e o Irã, a Coréia do Norte teme ser atacada por forças americanas, uma vez concluída a guerra contra Bagdá. O regime de Pyongyang acusa Washington de incitar uma disputa sobre seu suposto programa de fabricação de armas nucleares a fim de ter uma desculpa para invadir o país."Ninguém pode assegurar que os Estados Unidos evitarão uma segunda crise iraquiana na Península Coreana", afirmou o jornal Minju Joson, controlado pelo governo. A Coréia do Norte "aumentará seu poderio de defesa sem a menor hesitação, e sem se importar com o que os outros dizem", indicou o jornal, em um editorial.Ontem, Pyongyang disse que Washington está usando a guerra contra o Iraque como um teste para uma ação militar futura contra a Coréia do Norte. As tensões na Península Coreana vem aumentando desde outubro do ano passado, quando funcionários americanos disseram que a Coréia do Norte admitiu possuir um programa para enriquecer urânio. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.