Coreia do Norte volta a ameaçar Seul com 'confronto total'

Declaração coincide com a chegada de Hillary Clinto à capital sul-coreana; é o 2º aviso de Pyongyang

Efe,

19 de fevereiro de 2009 | 04h46

A Coreia do Norte voltou nesta quinta-feira, 19, a ameaçar Seul com um "confronto total", no momento em que crescem os rumores sobre os preparativos de um possível lançamento de um míssil norte-coreano de longo alcance. "O grupo de traidores de Lee Myung-bak não deveria se esquecer nunca que a força popular norte-coreana está preparada para um confronto completo", disse à agência oficial de notícias norte-coreana KCNA um porta-voz militar do regime comunista, citado pela Yonhap, da Coreia do Sul. Trata-se da segunda ameaça militar feita pelo país comunista contra Seul em menos de um mês. O alerta coincide também com a chegada ainda esta noite à capital sul-coreana da secretária de Estado americana, Hillary Clinton. Hillary deve abordar com as autoridades a questão do desarmamento nuclear da Coreia do Norte, que se tornou um dos temas de maior destaque dessa viagem pela Ásia, a primeira internacional que faz desde que assumiu o cargo em janeiro. O Exército norte-coreano já tinha advertido em janeiro que adotaria uma "postura de confronto" com o governo conservador de Seul. Analistas acreditam que com essas mensagens a Coreia do Norte pretende abrir espaço para uma mudança na política conservadora de Seul, assim como chamar a atenção do governo Barack Obama.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do NorteCoreia do Sulameaça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.