Coreia do Norte volta a processar combustível nuclear

País também decidiu expulsar os inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica e dos Estados Unidos

EFE

25 de abril de 2009 | 01h51

A Coreia do Norte anunciou neste sábado que voltou a processar barras de combustível nuclear em sua principal usina atômica, com o objetivo de impulsionar seu poder contra as "forças hostis", informou a agência estatal local "KCNA".

 

Essa decisão indica que o regime comunista norte-coreano começou a extrair plutônio do combustível nuclear que armazena em sua central de Yongbyon, ao norte de Pyongyang, que teria sido reativada, segundo a agência sul-coreana "Yonhap".

 

"A volta do processamento de barras de combustível começou, como já foi anunciado em comunicado do dia 14 de abril do Ministério de Exteriores", apontou um porta-voz desse Ministério à "KCNA".

 

Em 14 de abril, um dia após ser condenado pelo Conselho de Segurança da ONU pelo recente lançamento de um foguete de longo alcance, o regime comunista advertiu para um rearmamento nuclear e o boicote ao diálogo de seis lados para sua desnuclearização, no qual participam as duas Coreias, China, Japão, EUA e Rússia.

 

A Coreia do Norte decidiu ao mesmo tempo expulsar do país os inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e dos Estados Unidos.

 

Segundo o porta-voz do Ministério de Exteriores norte-coreano, a decisão anunciada neste sábado "contribuirá para impulsionar a dissuasão nuclear em defesa própria a fim de fazer frente às crescentes ameaças militares das forças hostis".

 

Na sexta-feira, um comitê do Conselho de Segurança da ONU decidiu impor sanções a três firmas vinculadas com o aparato militar da Coreia do Norte por sua suposta participação no recente lançamento do foguete de longo alcance. Além disso, ampliou a lista de bens que são proibidos de importar ou exportar do país asiático.

Tudo o que sabemos sobre:
SEULPYONGYANGNUCLEAR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.