Coréia do Norte volta a rejeitar diálogo com os EUA

A Coréia do Norte voltou a rejeitar hoje a abertura de diálogo com os Estados Unidos, acusando o presidente americano, George W. Bush, de estar querendo mudar o sistema político do Estado comunista.Em visita a Seul na semana passada, Bush propôs a abertura de diálogo com a Coréia do Norte, mas criticou o "regime despótico" do país."A RDPC (República Democrática Popular da Coréia) não sente qualquer necessidade de tal diálogo inútil", escreveu o Rodong Sinmun, o jornal oficial do governista Partido dos Trabalhadores.A Coréia do Norte acusou Bush de pretender lançar uma guerra contra o país. Na Coréia do Sul, Bush disse que não tinha intenção de invadir a Coréia do Norte, mas condenou o programa de mísseis de longo alcance e de armas de destruição em massa do país comunista."As frenéticas iniciativas para asfixiar a RDPC irão apenas forçá-la a aumentar ainda mais sua capacidade de autodefesa e se manter pronta para travar uma guerra justa", escreveu o jornal num comentário divulgado pela agência de notícias oficial KCNA, monitorada em Seul.Uma mudança do sistema político do Norte levaria o país a "seguir o modo de vida ocidental e americano e optar pela escravidão e morte", acrescentou.A Coréia do Norte intensificou sua retórica anti-EUA desde a viagem de Bush a Seul. O país comunista classificou Bush de "uma criança politicamente retardada".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.