Coreia do Sul condena atentado a ônibus no Egito

A Coreia do Sul condenou o atentado a um ônibus turístico que transportava peregrinos cristãos sul-coreanos na Península do Sinai, no Egito. O governo do país alertou os cidadãos a não viajarem para a região.

AE, Agência Estado

17 de fevereiro de 2014 | 03h41

O ataque ao ônibus, que transportava 33 sul-coreanos e dois egípcios, ocorreu perto da fronteira de Taba neste domingo.

O Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Sul confirmou que o motorista egípcio e três passageiros sul-coreanos foram mortos e que outras 14 pessoas ficaram feridas. De acordo com funcionários do ministério, as vítimas relataram que um jovem jogou um explosivo no ônibus.

O Ministério emitiu imediatamente um "alerta de viagem especial", aconselhando os turistas sul-coreanos a evitarem a região do Sinai e do Golfo de Aqaba.

O presidente sul-coreano, Park Geun-hye, instruiu os ministérios a ajudarem as vítimas e garantirem a segurança dos sul-coreanos na região.

Os ministros das Relações Exteriores da Coreia do Sul e do Egito falaram sobre o atentado neste domingo por telefone e concordaram em cooperar na investigação do incidente. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
coreia do sulegitoônibus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.