Coreia do Sul descarta fechar complexo industrial de Kaesong

Regime comunista declara nulo o contrato assinado entre os países e quer que empresas abandonem parque

Efe,

18 de maio de 2009 | 03h40

A Coreia do Sul descartou nesta segunda-feira, 18, fechar o complexo industrial conjunto de Kaesong, apesar do regime comunista da Coreia do Norte ter declarado nulo o contrato assinado entre ambos os países, informou a agência Yonhap.

 

linkCoreia do Norte cancela acordo com o Sul em parque industrial

 

"Nosso Governo não está considerando o fechamento, em uma tentativa de solucionar o assunto", afirmou o vice-ministro de Unificação sul-coreano, Hong Yang-ho, segundo a Yonhap.

 

O vice-ministro ressaltou que Seul acredita que o complexo de Kaesong deve se desenvolver de forma estável e que aposta no diálogo com Pyongyang para solucionar os assuntos intercoreanos.

 

O regime comunista indicou que as empresas sul-coreanas presentes em Kaesong deverão aceitar suas novas normas ou, em caso contrário, terão que abandonar o complexo que fica em território norte-coreano.

 

Horas antes de transmitir o comunicado, a Coreia do Sul tinha proposto manter conversas com seu vizinho nesta segunda-feira para abordar o futuro do complexo industrial.

 

No entanto, essa reunião não chegou a ser realizada, pois o país comunista não respondeu à proposta sul-coreana, segundo a porta-voz do Ministério da Unificação da Coreia do Sul, Lee Jong-ju.

 

O parque industrial de Kaesong, em funcionamento desde 2005 e situado a cerca de 60 quilômetros ao norte de Seul, acolhe uma centena de pequenas e médias empresas sul-coreanas que empregam 39 mil trabalhadores norte-coreanos e é um símbolo da reconciliação das duas Coreias.

 

Atualmente as relações entre ambos os países atravessam um de seus piores momentos, com acusações cruzadas acerca da responsabilidade de um e de outro sobre a ruptura do diálogo.

Tudo o que sabemos sobre:
KaesongCoreia do SulCoreia do Norte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.