Coréia do Sul e EUA começam exercícios militares

Militares dos Estados Unidos e da Coréia do Sul lançaram nesta quinta-feira os maiores exercícios militares conjuntos já realizados por ambos, classificados pela Coréia do Norte como preparativos para uma invasão do norte da península. Os exercícios, que vão se prolongar até 27 de março, são duas manobras militares conjuntas combinadas com o intuito de garantir a eficiência, disse Lee Ferguson, porta-voz do comando militar dos EUA em Seul.Ferguson afirmou que os exercícios combinados são os maiores a serem levados a cabo pelos dois aliados desde a Guerra da Coréia entre 1950 e 1953. Os Estados Unidos lutaram ao lado da Coréia do Sul nesta guerra de três anos. As duas Coréias foram divididas em 1945. Os exercícios devem envolver a maior parte dos 37 mil soldados dos EUA baseados na Coréia do Sul, e um pequeno número das forças norte-americanas baseadas no Japão, em Guam e no próprio território dos Estados Unidos, como também 650 mil soldados sul-coreanos, afirmaram autoridades militares de ambos os lados."Holocausto nuclear"Os Estados Unidos e a Coréia do Sul afirmaram que os exercícios militares conjuntos são defensivos, mas a Coréia do Norte condenou-os, dizendo que trata-se de preparativos para lançar um "holocausto nuclear" na Península Coreana. "Se os agressores começarem uma guerra aqui a qualquer custo, enfrentarão punições jamais vistas na história da guerra e estarão destinados a tomar uma amarga xícara de derrota", publicou o Rodong Sinmun, jornal oficial do Partido dos Trabalhadores, da Coréia do Norte. O comentário do jornal foi divulgado pela Agência Coreana Central de Notícias, estatal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.