Coréia do Sul e EUA iniciam manobras militares conjuntas

Objetivo é defender o país contra um eventual ataque norte-coreano; 66 mil soldados participam da ação

Efe,

18 de agosto de 2008 | 03h52

Coréia do Sul e Estados Unidos iniciaram nesta segunda-feira, 18, suas manobras militares conjuntas anuais para preparar a defesa perante um eventual ataque norte-coreano, informou a agência de notícias sul-coreana Yonhap. Trata-se de uma das principais simulações militares que realizam conjuntamente ambos os países, que este ano conta com a participação de 10.000 soldados dos EUA e outros 56.000 soldados da Coréia do Sul. As manobras deste ano, chamadas Guardião da Liberdade Ulchi, se concentrarão em "operações de comprovação" dirigidas pelas forças sul-coreanas e apoiadas pelas dos EUA, segundo a Yonhap. Pela primeira vez na história destas manobras o Exército sul-coreano e o americano terão dois comandantes separados. A mudança aconteceu porque em 2012 a Coréia do Sul tomará o controle de suas tropas em tempos de guerra, atualmente em poder dos EUA. Os Estados Unidos mantém cerca de 28.500 homens na Coréia do Sul como poder dissuasório perante um eventual ataque do país comunista da Coréia do Norte. A Coréia do Norte critica fortemente os exercícios militares conjuntos que vem se desenvolvendo desde 1975, porque os considera um desdobramento hostil dos EUA. Os jogos de guerra acontecem quando os EUA estão a ponto de levantar algumas sanções contra a Coréia do Norte depois que Pyongyang entregou em junho um relatório detalhado com seu potencial nuclear.

Tudo o que sabemos sobre:
Coréia do SulEUAmanobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.