Coreia do Sul estuda retirar sanções econômicas contra Coreia do Norte

Estamos estudando o tema com cuidado, mas a opinião pública está dividida, diz ministro

O Estado de S. Paulo,

01 de novembro de 2013 | 11h18

SEUL  -O governo da Coreia do Sul admitiu nesta sexta-feira, 1, que cogita da retirada de sanções comerciais contra a Coreia do Norte, que há três anos bloqueiam o comércio entre os dois países. A medida foi uma punição ao torpedeamento de uma embarcação sul-coreana que matou 46 militares.

"Estamos estudando o tema com cuidado, mas a opinião pública está claramente dividida", disse o ministro da Unificação Ryoo Kihl-jae.

Segundo o ministro, Seul deve avaliar todas as variáveis envolvidas no caso antes de tomar uma decisão. Hoje, o único projeto em parceria dos dois países é o complexo industrial de Kaesong.

Foi a primeira vez que o governo conservador da presidente Park Geun-hye se pronunciou favoravelmente sobre a retirada das sanções ao vizinho comunista. O sinal de aproximação ocorre em meio a uma aproximação diplomática da China, principal aliada da Coreia do Norte, com Seul. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Coreia do SulCoreia do Norte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.