Coreia do Sul fará novos exercícios militares perto da fronteira

Península Coreana segue sob tensão; manobras contarão com aviões, tropas e artilharia

Efe,

22 de dezembro de 2010 | 04h20

TÓQUIO - A Coreia do Sul realizará nesta quinta-feira novas manobras militares com fogo real na província de Gyeonggi, perto da fronteira com a Coreia do Norte, informou nesta quarta-feira a agência sul-coreana Yonhap.

 

Veja também:

documento Arquivo Estado: O armistício de Pan-Mun-Jon

especial Infográfico: As origens do impasse na península coreana

lista Entenda a crise entre os dois países 

 

Contemplados como uma nova demonstração de força de Seul perante o regime de Pyongyang, os exercícios militares ocorrem em meio a um momento de tensão na península, após o ataque norte-coreano de 23 de novembro à ilha sul-coreana de Yeonpyeong, que causou quatro mortes.

Fontes militares citadas pela Yonhap indicaram que os exercícios serão realizados na região de Poncheon, a cerca de 20 quilômetros da fronteira. Dele, participarão aviões de combate e artilharia, junto com o maior número de tropas terrestres utilizados até o momento em um treino na área.

Essas operações coincidirão com outros exercícios navais rotineiros que a Coreia do Sul realiza desta quarta até sexta-feira em águas do litoral oriental da península.

Na segunda-feira passada, Seul empreendeu polêmicos exercícios militares perto da tensa fronteira intercoreana no Mar Amarelo. A Coreia do Norte, porém, anunciou que não responderia.

 

As Coreias se encontram tecnicamente em conflito desde que a Guerra da Coreia (1950-1953) foi encerrada pelo armistício em vez de um tratado de paz. Desde então, o acirramento das tensões entre as duas nações asiáticas é frequente.

 

Outro episódio recentes dos atritos entre os países foi o afundamento do navio sul-coreano Cheonan. Seul acusa Pyongyang de estar por trás do ataque, que matou 46 marinheiros. A Coreia do Norte, que está sob pressão pelas suspeitas de estar ampliando seu programa nuclear, nega.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.