Coreia do Sul promete retaliação a provocação do Norte

A nova presidente da Coreia do Sul prometeu nesta segunda-feira uma forte resposta militar a qualquer provocação norte-coreana, depois de Pyongyang ter anunciado que os dois países estão em estado de guerra.

Agência Estado

01 de abril de 2013 | 08h13

A advertência da presidente Park Geun-Hye foi feita no momento em que o Parlamento norte-coreano iniciava sua sessão anual, um dia depois dos líderes do partido comunista terem consagrado em lei o direito de Pyongyang possuir armas nucleares.

O anúncio foi feito também depois de os Estados Unidos informarem que enviaram caças que não podem ser detectados por radares inimigos para a Coreia do Sul, como parte dos exercícios militares conjuntos.

Em reunião com graduados oficiais militares e com o ministro da Defesa Kim Kwan-Jin, Park disse ter levado "muito a sério" a série quase diária de ameaças que vem sendo feita pela Coreia do Norte no último mês.

"Eu acredito que devemos retaliar, de maneira forte e imediata, sem quaisquer outras considerações políticas se (Pyongyang) fizerem qualquer provocação contra nosso povo", afirmou ela.

Park, uma conservadora que havia defendido em engajamento cauteloso com o Norte durante sua campanha, tem sido compelida a tomar uma postura mais dura após assumir o cargo, em fevereiro.

O ministro da Defesa deixou claro que o Sul pode realizar ataques preventivos contra instalações nucleares e de mísseis norte-coreanas no caso do surgimento de hostilidades.

"Vamos...estabelecer a chamada ''dissuasão ativa'' com o objetivo de neutralizar rapidamente as ameaças nucleares e de mísseis do Norte", afirmou Kim.

A península coreana entrou num ciclo de crescentes tensões desde que Pyongyang lançou, em dezembro, um foguete de longo alcance, que segundos críticos do país foi um teste de míssil balístico.

As sanções impostas pela Organização das Nações Unidas (ONU) foram seguidas por um teste nuclear, realizado em fevereiro, depois do qual mais sanções foram impostas e mais ameaças foram feias por Pyongyang, na medida em que a Coreia do Sul e os Estados Unidos realizavam exercícios militares conjuntos.

Nesta segunda-feira, o Exército norte-americano informou que enviou caças F-22 Raptor na Coreia do Sul como parte dos exercícios militares, que recebem o nome de "Foal Eagle".

A Coreia do Norte já ameaçou atacar o território norte-americano e bases dos Estados Unidos no Pacífico em resposta ao uso dos aviões B-52 e B-2, com capacidade nuclear, durante os exercícios realizados neste ano. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
CoreiastensãoPark Geun-Hye

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.