Coréia do Sul quer livre comércio com a América Latina

A Coréia do Sul aposta na criação de uma rede de tratados de livre comércio com países da América Latina e do Caribe, semelhantes aos firmados com o Chile em 2004, anunciou hoje o vice-ministro de Finanças sul-coreano, Kwon Tae-shin. "A Coréia do Sul pretende consolidar a cooperação econômica com os países latino-americanos usando como base seu tratado de livre comércio com o Chile e dando início a negociações para assinar outros com países da região", afirmou Kwon em comunicado. O vice-ministro deve participar da Assembléia Anual do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que será aberta na próxima segunda-feira em Belo Horizonte. A Coréia do Sul se transformou no 47º membro do BID em 2005, e no segundo país asiático a integrar o fórum internacional. O primeiro foi o Japão. Fundado em 1959, o BID é a principal fonte de financiamento multilateral para a América Latina e o Caribe. O vice-ministro sul-coreano indicou que seu país reafirmou o compromisso de promoção da cooperação e do intercâmbio com o continente americano com a firma do tratado com o Chile em 2004. "Depois que o tratado de livre comércio com o Chile entrou em vigor, o volume comercial entre os dois países cresceu 55% no primeiro ano, o que mostra claramente os grandes benefícios que o livre intercâmbio trouxe a ambos os Estados", acrescentou. Segundo Kwon, a Coréia do Sul contribuiu com US$ 67 milhões com os Fundos de Cooperação e Desenvolvimento Econômico da região nos últimos três anos, e espera aumentar esse valor para US$ 200 milhões visando ao ano de 2009.

Agencia Estado,

02 Abril 2006 | 06h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.