Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Coreia do Sul registra recorde de 950 casos diários de Covid-19

O aumento foi um golpe para o alardeado sistema de combate à pandemia da Coreia do Sul, que usou rastreamento de contato, testes e quarentena para amortecer as ondas anteriores sem bloqueios

Reuters, O Estado de S.Paulo

12 de dezembro de 2020 | 08h58

SEUL - A Coreia do Sul relatou um recorde de 950 casos diários de coronavírus neste sábado, 12, ultrapassando o pico do final de fevereiro, quando o país marcou 909 casos. O presidente Moon Jae-in classificou a terceira onda de Covid-19 do país de "emergência".

Dos casos de sexta-feira, 11, relatados pela Agência de Prevenção e Controle de Doenças da Coreia (KDCA), 928 foram transmitidos localmente e 22 foram importados, elevando o total para 41.736 infecções com 578 mortes.

Mais de 70% dos casos transmitidos internamente foram de Seul e áreas vizinhas, onde vivem cerca de metade dos 52 milhões de habitantes do país.

O aumento foi um golpe para o alardeado sistema de combate à pandemia da Coreia do Sul, que usou rastreamento de contato, testes e quarentena para amortecer as ondas anteriores sem bloqueios, mantendo as infecções diárias abaixo de 50 durante grande parte do verão.

A terceira onda vem apesar das regras de distanciamento social mais duras que entraram em vigor na terça-feira, 8, incluindo toques de recolher sem precedentes em restaurantes e na maioria dos outros negócios. O país notificou cerca de 600 casos por dia nesta semana.

Seul está sob as restrições de nível 2.5. Aumentar para 3, o mais alto dos cinco níveis, exigiria que as escolas mudassem para o ensino à distância, permitiria apenas trabalhadores essenciais nos escritórios e proibiria reuniões de mais de 10 pessoas.

O primeiro-ministro Chung Sye-kyun disse que o governo fará todos os esforços para deter a terceira onda.

“Se não controlarmos a disseminação agora, a escalada da restrição de distanciamento social para o Nível 3 seria inevitável”, disse Chung em uma reunião de emergência.

As autoridades pediram às pessoas que fiquem em casa e cancelem todas as reuniões cara a cara, pois novas infecções foram detectadas em reuniões pessoais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.