Coréias concordam em retomar diálogo

A Coréia do Sul está mandando um enviado presidencial para a Coréia do Norte na próxima semana para discutir como melhorar as relações diplomáticas, afirmaram as nações rivais nesta segunda-feira, dando um passo para a retomada do diálogo e a diminuição das tensões numa das regiões mais militarizadas do mundo.A declaração conjunta marca a retomada do processo de reconciliação na península coreana, que parou no ano passado depois que o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, aumentou as críticas sobre o regime comunista da Coréia do Norte.Lim Dong-won, assessor especial do presidente Kim Dae-jung para assuntos diplomáticos e de segurança nacional, visitará a Coréia do Norte na primeira semana de abril, disse Park Sun-sook porta-voz do presidente.Em relatório divulgado pela Agência Coreana Central de Notícias, serviço de notícias internacionais da Coréia do Norte, o governo de Pyongyang confirmou a planejada visita de Lim e disse que os dois lados vão discutir "a grave situação pela qual passa a nação e assuntos de interesse comum relacionados aos laços entre as duas Coréias".Divididas em 1945, as duas Coréias compartilham a fronteira mais armada do mundo. Cerca de 37 mil soldados norte-americanos estão baseados na Coréia do Sul, como forma de deter a Coréia do Norte, um legado da Guerra da Coréia (1950-53).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.